Epidemia Dor
covid

Atenção e respeito às normas segurança são dicas de cuidados com as crianças nas férias

Corpo de Bombeiros destaca que pais devem estar atentos aos filhos a todo momento

12/01/2020 10h41
Por: Redação
Fonte: midiamax
125
(Leonardo de França | Jornal Midiamax)
(Leonardo de França | Jornal Midiamax)

Época de férias escolares, o mês de janeiro é o período em que as crianças viajam com a família ou passam mais tempo em casa, o que aumenta a ocorrência de acidentes. De acordo com o Corpo de Bombeiros, duas coisas são essenciais para evitar incidentes: atenção por parte dos pais e o respeito às normas de segurança.

 

 De acordo com os militares, em balneários e clubes, a responsabilidade do cuidado com as normas de segurança também é dos proprietários do local. Para funcionar todos os estabelecimentos devem ter e apresentar junto ao Corpo de Bombeiros o projeto contra incêndio e pânico, que após ser aprovado e executado passa por uma vistoria para que seja emitido um certificado que deve estar fixado em local visível ao público, os frequentadores devem se atentar a isso.

 

Os locais devem ainda disponibilizar duas boias, dois coletes salva-vidas e dois guarda-vidas experientes a cada 500 metros quadrados de lâmina de água, regras válidas para clubes, balneários e rios que ainda devem ter a área destinada ao banho sinalizada.

 

É importante também, para evitar acidentes e afogamentos os balneários e piscinas dos clubes e condomínios devem possuir acessos restritos que delimitem áreas de água com informação sobre profundidade e permissão ou proibição de mergulho.

 

Ilustrativa

 

O Corpo de Bombeiros ressalta que é de suma importância que os pais e responsáveis estejam atentos e respeitem as regras de prevenção. Menores de 12 anos devem sempre estar acompanhados de um responsável que deve evitar a distração com aparelhos eletrônicos e conversas.

Não é recomendada a ingestão de alimentos pesados e bebidas alcoólicas durante a prática de lazer ou de esportes aquáticos e os banhistas, adultos ou crianças, devem cumprir todas as orientações e determinações dos guarda-vidas, evitar brincadeiras que coloquem a segurança em risco durante o nado ou mergulho e evitar mergulhos em locais com profundidade menor que o dobro da altura corporal.

 

 Cuidados em Casa

Muitas crianças acabam não viajando, já que alguns pais acabam não tirando férias no mesmo período, e assim passam mais tempo em casa. Para que elas também se divirtam os bombeiros lembram que os pais devem estar comprometidos com a segurança, já que os menores ainda não são capazes de estabelecerem juízo crítico sobre os riscos das ações que praticam.

 

Para que as férias escolares sejam marcadas por diversão também em casa, os pais devem sempre se certificar que a chama do fogão esteja apagada após o uso. “Muitas pessoas estão com as panelas no fogão e quando vão fazer outra tarefa doméstica, acabam esquecendo a chama acesa o que pode provocar um incêndio ou queimaduras nos pequenos”, lembram os militares.

 

Além disso os cabos das panelas ao alcance das crianças são itens que facilitam o acidente com queimaduras, por isso, recomenda-se que durante ou após o uso, os pais voltem os cabos das panelas para o centro do fogão dificultando o contato da criança.

 

Crianças pequenas não devem ficar sem vigilância, principalmente próximo a pias, banheiras, piscinas e recipientes com água em geral. “É sempre melhor guardar baldes e recipientes virados para baixo”, ressalta.

 

Caixas de remédios e objetos pequenos que possam ser ingeridos, causando asfixia ou risco de intoxicação, devem ser mantidos fora do alcance de crianças. “Mantenha os produtos em suas embalagens originais. Nunca coloque um produto tóxico em outra embalagem que não a sua, pois poderá ser confundido com algo sem perigo”, destacam.

 

Objetos cortantes como facas, garfos e tesouros por exemplo, não devem estar ao alcance das crianças. É importante também que eles não andem pela casa levando objetos perigosos nas mãos.

 

Caso haja piscina em casa, os pais devem garantir que o acesso das crianças seja limitado com grades e portão com cadeado, apenas a cerca viva não é suficiente.

 

Também são comuns os acidentes de queda sejam de nível ou da própria altura, quanto a isso, a recomendação é que os brinquedos e outros objetos sejam sempre recolhidos do piso e os tapetes devem ser fixados com fita adesiva dupla-face ou forro de borracha antiderrapante. Se líquido for derramado ao chão, deve-se secá-lo imediatamente.

 

“Instalações elétricas devem sempre ser verificadas, fios desencapados podem ser muito perigosos. As tomadas devem estar protegidas por tampas apropriadas, esparadrapo, fita isolante ou mesmo cobertas por móveis. O uso de benjamins ou extensões devem ser evitados, além de não manter muitos aparelhos ligados na mesma tomada que podem causar sobrecarga e curto-circuito na fiação”.

 

Na rua

 

Independente se estejam em viagem ou em casa, a rua é sempre um risco para as crianças, seja para atravessar ou até mesmo com pessoas estranhas e de má índole. Os pais devem sempre segurar firme a mão da criança e/ ou orientar para olhar nos dois lados do sentido da via.

 

(Ilustrativa)

 

“Crianças pode soltar da mão do adulto e correr em direção a um veículo, por isso é preciso segurar firme. Se for uma criança que tenha autonomia para atravessar sozinho, olhar nos dois sentidos é importante porque alguém pode estar dirigindo na contramão. Aparelhos eletrônicos e música alta nos fones de ouvido devem ser evitados”, disseram.

 

Sobre pessoas estranhas, a recomendação é que os pais recomendem as que já tem autonomia para andar sozinha na rua para que evitem lugares escuros e isolados, transitando sempre pelos trechos mais iluminados e com presença de pessoas, mesmo que seja um caminho mais longo até o destino.

 

E sempre lembrar sobre não conversar com pessoas desconhecidas, já que não é possível saber o que se passa pela cabeça de alguém.

 

Brincadeiras com pipas

Relembrando o caso recente do menino de 6 anos que teve o pescoço atingido por uma linha com cerol, os militares ressaltam que os pais devem orientar as crianças a estarem alertas em locais onde se soltam pipas. Observando a presença de linhas com ou sem cerol e linhas chilenas, principalmente quando estiverem andando ou correndo a pé, de bicicleta, patinete e patins.

 

Caso não seja possível evitar e o acidente ocorra, o adulto deve colocar um pano limpo sobre o ferimento fazendo uma leve pressão e ligar para o serviço de emergência.

 

 

Os telefones em caso de acidentes são o 193 do Corpo de Bombeiros e o 192 do Samu (Serviço de Atendimento Móvel à Urgência). Caso seja uma denúncia de algum crime cometido contra a criança o contato da Polícia é o 190.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.