epidemia falta de atitude

Hospital Regional de Ponta Porã (MS) inicia ciclo de capacitações sobre manejo clínico da dengue

Capacitação atualiza médicos e enfermeiros sobre novos protocolos; unidade é gerenciada pelo Instituto Acqua por meio de parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) do Mato Grosso do Sul

10/02/2020 15h35
Por: Redação
Fonte: Hospital Regional de ponta pora
48
Hospital Regional de Ponta Porã (MS) inicia ciclo de capacitações sobre manejo clínico da dengue
Hospital Regional de Ponta Porã (MS) inicia ciclo de capacitações sobre manejo clínico da dengue

O Hospital Regional Dr. José de Simone Netto, em Ponta Porã (MS), gerenciado pelo Instituto Acqua em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), iniciou na última terça-feira (04/02) ciclo de palestras sobre o diagnóstico e manejo clínico da dengue. A ação reuniu médicos e enfermeiros e tem intuito de atualizar a equipe multidisciplinar sobre os protocolos preconizados pelo Ministério da Saúde. As palestras seguirão nos dias 11 e 13 de fevereiro, conduzidas pelo infectologista Pablo Marinho Custódio.

 

“O vírus da dengue são arbovírus transmitidos por artrópodes. A infecção pelo vírus pode ser assintomática ou sintomática. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos também são comuns e alguns casos pode apresentar manchas vermelhas na pele”, explicou o médico infectologista, Pablo Marinho Custódio.

Capacitação atualiza médicos e enfermeiros sobre novos protocolos
Capacitação atualiza médicos e enfermeiros sobre novos protocolos

 

A capacitação abordou diagnóstico, protocolos e manejo clínico em adultos e crianças. O médico ressaltou sobre como se manifestam as formas graves da doença. “As formas graves da doença podem manifestar-se com extravasamento de plasma, levando ao choque ou acúmulo de líquidos com desconforto respiratório, sangramento grave ou sinais de disfunção orgânica como o coração, os pulmões, os rins, o fígado e o sistema nervoso central”, afirmou.

 

O diretor-técnico da unidade, Antônio Martinussi, ressaltou a importância da capacitação no período de chuvas, quando ocorre maior incidência da doença. “Nessa época chuvosa, percebemos o aumento de pacientes com os sintomas da doença. Organizamos essa ação para atualizar nossa equipe de médicos e enfermeiros visando a segurança dos nossos pacientes”, pontuou.

 

Casos da Doença - De acordo com dados do boletim epidemiológico disponibilizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), entre os dias 1º de janeiro e 4 de fevereiro de 2020 foram registrados 9.053 casos de dengue no Mato Grosso do Sul. No ano passado foram registrados 1.099 casos da doença em Ponta Porã e um total 40.362 casos no estado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.