epidemia falta de atitude

Hackers brasileiros e portugueses denunciam 100 sites de pedofilia

Os piratas informáticos da CyberTeam 'invadiram' sites de cidades brasileiras para denunciar uma rede internacional de pedofilia

11/02/2020 06h07
Por: Redação
Fonte: Conteudoms
60

Os piratas informáticos da CyberTeam, constituído por hackers portugueses e brasileiros, ‘invadiram’, nos últimos dias, os sites oficiais de dez cidades do estado brasileiro da Paraíba para denunciar uma rede internacional de pedofilia.

 

De acordo com o jornal italiano La Repubblica, os sites institucionais alvo do ataque foram modificados de forma a aparecerem não só as páginas de internet que, alegadamente, promovem pornografia infantil, como o nome, morada e outros dados de pedófilos.

 

Ao La Repubblica, o líder da CyberTeam, que assina como Spy_Unkn0wn no Twitter, garantiu que o ataque tinha como objetivo obrigar as autoridades a intervir. “Já informamos a polícia e algumas autoridades locais, mas nem sequer nos responderam”, contou.

 

O grupo de piratas informáticos, ao qual pertence pelo menos um português, já tinha avisado no Twitter, no passado dia 27 de janeiro, que ia denunciar vários pedófilos que atuam online.

 

A esta ‘missão’ a CyberTeam chamou #OPPedoGate. Numa breve pesquisa no Twitter é possível ver ‘prints’ de alguns dos sites dos municípios brasileiros que, entretanto, já voltaram ao seu formato original, modificados pelos hackers.

 

Ainda segundo o que o líder do grupo disse ao La Repubblica, os endereços dos sites de pedofilia expostos têm ‘morada’ na Rússia, Ucrânia, Japão, África e mesmo EUA. Alguns estão alojados na Dark Web, mas outros estão acessíveis a qualquer pessoa.

 

Os sites ofereciam diversos serviços, alguns pagos, outros gratuitos e sem implicar nenhum tipo de registo. Alguns contêm vídeos e imagens de crianças a serem abusadas, outros contam histórias eróticas com menores. Há ainda fotos de crianças a dormir e a brincar entre si, muito provavelmente roubadas nas redes sociais dos pais, que foram tiradas de uma forma inocente mas que estão a ser comercializadas por pedófilos.

 

A maioria dos sites promove-se como “agências de modelos para adolescentes e vários como associações de nudistas”, revela o jornal italiano.

 

Recorde-se que, no mês de janeiro, o mesmo grupo de hackers, invadiu o site da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) em defesa do também pirata informático Rui Pinto.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.