coronavirus2

Violência matou mais que Covid-19 neste fim de semana em Mato Grosso do Sul

Maior parte dos casos aconteceu na Capital no feriado

04/05/2020 08h23
Por: Redação
Fonte: pontaporainforma
229
Na noite de sexta, um jovem morreu e uma adolescente ficou ferida em um atentado - Foto: WhatsApp/ Correio do Estado
Na noite de sexta, um jovem morreu e uma adolescente ficou ferida em um atentado - Foto: WhatsApp/ Correio do Estado

Enquanto o coronavírus fez duas vítima em Mato Grosso do Sul após seis dias sem mortes, a violência fez seis no período de três dias (sexta-feira [1º] e este fim de semana) no Estado, sendo quatro delas em Campo Grande.

A primeira vítima foi Graziele Quele Ferreira Gomes, de 39 anos, que foi encontrada, ainda na manhã de sexta-feira, em uma fossa desativada, no Bairro Morada Verde. Moradores denunciaram o caso para a Polícia Militar (PM), que foi até o local.

 

Graziele estava enrolada em um lençol, sendo enterrada na fossa e coberta com cerca de 1,2 metros de terra. Ela foi morta pelo ex-companheiro Edson Firmino Camargo, de 39, que foi preso na noite de ontem, informou a Delegada Ana Luiza Carneiro, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Além ex-companheiro, outras três pessoas foram presas envolvidas na ocultação do corpo da moça.

 

Graziele foi morta e enterrada pelo ex - Foto: Reprodução/ FacebookGraziele foi morta e enterrada pelo ex - Foto: Reprodução/ Facebook

 

Ainda durante a manhã de sexta, o corpo de Gleisom da Silva Abreu, de 25 anos foi encontrado na região da cachoeira do Inferninho, na saída para Rochedo. A polícia acredita que ele foi jogado lá já sem vida.

Conforme informações do boletim de ocorrência, o jovem saiu de casa, no Jardim Colúmbia, às 8h de quinta-feira, em uma moto Honda CG Titan. Na última vez que foi visto, por volta de 16h, ele estava conversando com dois homens no bairro Nova Lima. Desde então a família não conseguiu mais contato com o jovem, só vindo a ter notícias na manhã seguinte.

 

Corpo tinha ferimentos na cabeça, por conta da queda, e marcas no pescoço, que serão investigadas se foram causadas pela queda, por asfixia, ou mata-leão. A moto ainda não foi encontrada.

 

Polícia ainda investiga as causas da morte de Gleisom - Foto: Reprodução/ FacebookPolícia ainda investiga as causas da morte de Gleisom - Foto: Reprodução/ Facebook

 

Já na parte da noite, um jovem de 23 anos, que não teve a identidade revelada, foi morto a tiros no Jardim Centenário. Ele estava em uma moto com a mãe e com uma adolescente de 14 anos.

De acordo com informações apuradas pelo Correio do Estado, o rapaz e as passageiras foram surpreendidos pelo atirador que disparou várias vezes. Ele foi baleado duas vezes nas costas e um na nuca, o rapaz chegou a receber atendimento do Corpo de Bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local. A adolescente também foi atingida por dois disparos, a jovem foi socorrida e encaminhada para a Santa Casa. Já a mãe do rapaz não se feriu. A polícia ainda investiga o caso.

 

Já no sábado, Nei Jesus de Andrade, de 45 anos, foi encontrado morto em uma calçada no Bairro Danúbio Azul. Ele estava sobre o um colchão no local. Segundo registros policiais, Nei havia sido agredido cinco dias antes e as autoridades ainda investigam se a morte tem relação com a agressão. O caso foi registrado como morte a esclarecer.

 

Segundo dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), MS teve mais dois casos de homicídios no interior, totalizando seis mortes em todo o Estado neste período de três dias.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.