mascara

Juíza é assassinada em local de trabalho no Paraguai e suspeito é preso

28/06/2020 18h49
Por: Redação
Fonte: conteudoms
178

A juíza Diana Eveline Mereles Duarte, de 38 anos, foi assassinada na noite deste sábado, dia 27 de junho, no Paraguai, na sede do juizado de Hernandarias, no departamento de Alto Paraná. A vítima atuava na 1ª Instância Civil e Comercial e teve o corpo encontrado no prédio em que trabalhava.

 

A mulher tinha ferimentos na cabeça e o principal suspeito do crime é um guarda de 28 anos, que cumpria expediente no local. O caso foi descoberto depois que ele foi embora e outros guardas chegaram para assumir o plantão, conforme divulgado pelo jornal paraguaio ABC Color.

 

A polícia acredita que o guarda tenha matado Diana por vingança, já que a magistrada havia o denunciado por roubo. A Côrte do Paraguai lamentou o ocorrido e solicitou rigor nas investigações pela polícia.

 

Segurança preso

 

O guarda de segurança do tribunal de Hernandarias, Wilson Miguel Scappini Villalba (28,) que aparece como suspeita no assassinato da magistrada Diana Eveline Mereles Duarte, foi preso nesta manhã. Este é , que estava sendo procurado desde a noite passada.

Scapppini Villalba foi detido em uma área arborizada do bairro de San Roque, na jurisdição da 24ª Delegacia de Polícia. Supostamente, ele estava tentando escapar atravessando um riacho. Ele foi transferido para o Hospital Regional de Ciudad del Este para diagnóstico médico.

Ontem, o guarda estava de plantão quando ocorreu o assassinato do magistrado e, quando foram fazer o revezamento, não o encontraram mais. O corpo sem vida do magistrado foi encontrado por volta das 18h30 por seguranças em um corredor no térreo do prédio. Ela morreu depois de receber um golpe na cabeça, causado por uma pedra basáltica, segundo a promotora Natalia Montanía, que lidera as investigações.

O guarda de segurança foi levado ao Hospital Regional do CDE para uma inspeção médica.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.