mascara

VÍDEO: após se negar a encerrar culto, pastor ameaça fiscais com barra de ferro e igreja é lacrada

Fiscalização esteve no local na tarde desta sexta

31/07/2020 17h03
Por: Redação
Fonte: midiamax
79
Igreja foi fechada. Imagem: Divulgação
Igreja foi fechada. Imagem: Divulgação

Após se negar encerrar o culto com cerca de 60 pessoas na noite desta quinta-feira (30), pastor de uma igreja no Jardim Centro Oeste, em Campo Grande, ainda recebeu a fiscalização com uma barra de ferro nas mãos na tarde desta sexta-feira (31). A igreja foi lacrada por três dias pelos fiscais.

Na noite de ontem, o pastor acabou autuado por infringir medida sanitária preventiva, desacato e desobediência, pelo descumprimento de decreto municipal que proíbe aglomeração de pessoas como medida de prevenção ao coronavírus.

As equipes da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), Vigilância Sanitária e GCM (Guarda Civil Metropolitana) retornaram ao local nesta tarde. A igreja foi interditada por três dias e, na próxima semana, caso respeitada as determinações vigentes, a igreja poderá reabrir as portas.

O local será monitorado e, caso descumpra novamente ao decreto, o pastor poderá ser conduzido para a delegacia de Polícia Civil.

O caso

Segundo as informações da Guarda, que atuou em apoio aos fiscais e ao promotor de Justiça, havia aproximadamente 60 pessoas no local. Todas em contato, sem respeitarem distanciamento, sem máscaras e após o horário do toque de recolher.

Ainda em vídeos feitos no local, foi possível ver os fiéis gritando, tentando evitar a abordagem. Em determinado momento um deles está no chão, enquanto o pastor afirma que os fiscais e guardas “invadiram a casa de Deus”.

Também no registro foi relatada uma fala do pastor de que “O Covid não existe, quem manda aqui é Deus e não promotor, prefeito ou governador”.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.