estado

Suspeito de tráfico, empresário sofreu atentado encomendado pela mulher em 2019

José Pereira Barreto é dono da empresa Euro Tur; PF não informou se ele está entre os presos na operação de hoje

21/01/2021 13h13
Por: Redação
Fonte: campograndenews
322
Caminhonete do empresário bateu em árvore após ele ser baleado, em fevereiro de 2019 (Foto: Adilson Domingos/Arquivo)
Caminhonete do empresário bateu em árvore após ele ser baleado, em fevereiro de 2019 (Foto: Adilson Domingos/Arquivo)

O empresário José Pereira Barreto, 40, um dos alvos da Operação Viagem Santa, deflagrada nesta quinta-feira (21) pela Polícia Federal, sobreviveu a um atentado a tiros em fevereiro de 2019 em Dourados, a 233 km de Campo Grande. O crime foi encomendado pela mulher dele, Valdirene Fiorentino da Silva, 37, e envolveu um ex-funcionário da empresa de Barreto, a Euro Tur, onde a PF cumpre hoje mandados de busca e de prisão.

No dia 13 de fevereiro de 2019, José Pereira Barreto voltava para casa em uma caminhonete S10 prata quando, no cruzamento das ruas Mato Grosso e Cuiabá, foi atingido por tiros disparados por dois homens de moto. O empresário perdeu o controle do veículo e bateu em uma árvore.

Ele ficou vários dias internado na UTI, mas sobreviveu. Dentro da caminhonete, a polícia encontrou R$ 63 mil em dinheiro vivo. Durante as investigações, nos dias seguintes, pelo menos mais meio milhão de reais foi encontrado na casa do empresário, anexa à garagem da empresa, na Rua Araguaia, um dos locais das buscas da operação de hoje.

Até o dia do crime, Valdirene estava desaparecida. A família tinha até comunicado a polícia sobre o desaparecimento. No momento do atentado, ela acabara de chegar à delegacia para explicar o sumiço. Não demorou para os policiais desconfiarem do envolvimento dela no atentado.

No dia 3 de dezembro de 2019, Valdirene e outros quatro envolvidos no crime foram condenados em julgamento que durou 18 horas. Ela pegou 12 anos e 10 meses de prisão.

Pedro Jorge Braga Cancio Júnior, então funcionário do empresário e acusado de ter tramado a morte do patrão em conluio com Valdirene, foi condenado a 16 anos e oito meses de reclusão. Charles Barros de Lima Ribeiro, autor dos tiros contra o empresário, pegou 13 anos e quatro meses de prisão.

Outros dois envolvidos, João Paulo Alves Cardoso, e Leandro Alves Gonçalves, foram condenados a 14 anos e sete meses e sete anos e três meses, respectivamente. David Jonathan dos Santos e Paulo Vitor dos Santos, também denunciados pelo Ministério Público, foram absolvidos.

Na denúncia, o Ministério Público afirmou que Valdirene tinha relação conturbada com Barreto, com quem vivia há 17 anos. Pedro Cancio teria tramado a morte dele com a patroa por nutrir raiva do patrão, considerado arrogante e que tratava mal os funcionários.

Tráfico de drogas – A operação desencadeada hoje pela Polícia Federal e Receita Federal mira a empresa Euro Tur e a Prado Tur, que pertence a Janqui Fernandes Prado, um ex-motorista de ônibus que trabalhava para José Barreto.

Em dois anos de investigação, a polícia descobriu que ônibus das empresas de turismo eram usadas para levar droga para São Paulo. Recrutados para viagens gratuitas, supostamente bancadas por um pagador de promessas, os passageiros eram fiéis interessados em conhecer o Santuário de Aparecida (SP).

A Operação Viagem Santa cumpre dez mandados de prisão temporária, válidos por 30 dias, 14 mandados de busca e apreensão e outros 20 procedimentos judiciais para bloqueio de contas bancárias e confisco de bens móveis e imóveis dos investigados.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.