Banner Sanesul - Institucional Setembro

Sem remédios ou salário, paraguaia denuncia escravidão em fazenda

Mulher era proibida de manter contato com a família

13/09/2021 18h01
Por: Redação
Fonte: campograndenews
91

Trabalhadora paraguaia, de 51 anos, procurou a delegacia de Sidrolândia no fim da manhã desta segunda-feira (13), para denunciar que foi mantida em trabalho escravo por donos de uma fazenda. À polícia, a vítima contou que não recebia salário e não podia manter contato com a  família.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, a mulher foi levada da cidade de Jardim para uma chácara em uma região conhecida como Capão Seco. Lá, a vítima ficou por quatro meses e no período, foi proibida de tomar os remédios que usava e trabalhou sem receber salário.

Em um dos episódios de maus-tratos, a trabalhadora foi obrigada a assinar um documento em que transferia a casa onde morava para o nome do patrão.

Ela conseguiu escapar do local onde era mantida e foi até a delegacia, onde o caso foi registrado como trabalho escravo e constrangimento ilegal.

A Polícia Civil investiga o caso. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.