Sanesul Outubro

Presidente da CPI, deputado Felipe Orro e colegas criticam Energisa após temporal em MS

18/10/2021 12h56
Por: Redação
Fonte: conteudoms
56

Em Mato Grosso do Sul, alguns lares estão a 66h sem energia após temporal que atingiu o Estado na quinta (14) e sexta-feira (15). Com a CPI da Energisa parada, deputados estaduais criticam a empresa pela demora no atendimento aos cidadãos.

Presidente da CPI, o deputado Felipe Orro (PSDB), lamenta as mais de 60h sem energia que afetam os sul-mato-grossenses. O parlamentar aponta que a situação atípica escancara que a “Energisa presta um serviço de qualidade ruim; o suporte é deficitário; a rede de distribuição é sucateada; a tarifa cobrada do consumidor não condiz com a qualidade do serviço prestado”.

Felipe Orro diz que a “Energisa falha ao não oferecer informações sobre quantidade de equipes atuando para executar reparos na rede de distribuição”. Assim, solicitou que a empresa divulgasse o Plano de Gerenciamento de Crise e informe precisamente a previsão de reestabelecimento dos serviços. Quanto à CPI, o deputado lembrou que o prazo de tramitação foi restabelecido desde 16 de outubro, conforme o Ato nº 23/2021 da Mesa Diretora da Alems.

No mesmo sentido, o deputado Evander Vendramini (PP), destaca que “a empresa tem que informar à população o real quadro da situação da interrupção da energia e demonstrar o que tem sido feito para regularizar o serviço”. Já Neno Razuk (PTB), também ressalta a falta de comunicação com os consumidores, por parte da empresa.

“Os relatos são inclusive de falta de atendimento nos canais de comunicação, ou seja, nem um posicionamento os consumidores estão recebendo, de uma empresa que tem alta lucratividade e ganha muito dinheiro em nosso Estado”, destaca. O parlamentar lembra que a situação foi causada por fenômenos naturais, mas informa que “era algo que tinha que ter o preparo para atendimento rápido e atender aqueles que precisam”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.