: Entregas 2021 Sanesul Governo

Idosa aceita ajuda de estranho em banco e leva golpe de R$ 8 mil

A idosa contou que, ao chegar próximo ao caixa, um rapaz se aproximou oferecendo ajuda

12/01/2022 18h42
Por: Redação
Fonte: campograndenews
136

Idosa de 71 anos procurou a polícia após perder R$ 8 mil. De acordo com relato da vítima, um rapaz se aproximou dela oferecendo ajuda enquanto ela estava no caixa dentro de uma agência do Banco Bradesco da avenida Calógeras, em Campo Grande.

A vítima procurou a reportagem hoje (12), para relatar o que aconteceu no dia 4 de janeiro e deixar um alerta. A aposentada contou que  foi até o banco sacar dinheiro para pagar as contas diárias e, assim que se aproximou do caixa,  um rapaz bem vestido chegou perto dela e ofereceu ajuda. “Ele se tremia todo, parecia bem nervoso mas achei normal, porque a agência estava cheia e tinha poucos funcionários, achei que ele estava daquele jeito porque tinha medo de tomar uma bronca”, explicou a idosa ao Campo Grande News.

No dia seguinte, a idosa teve que voltar na agência para tirar extrato da conta pois havia esquecido no dia anterior. "Eu tenho o hábito de fazer isso pois gosto de saber quanto resta na conta, caso precise para uma emergência" contou.

Assim que viu o extrato, percebeu que havia uma transferência de R$ 5 mil e dois saques, de R$ 2,5 mil e de R$ 500. A aposentada conversou com o gerente da agência onde isso aconteceu, e foi orientada a registrar o boletim de ocorrência para que o banco tomasse as providências.

"O gerente me explicou que eu precisava fazer o boletim de ocorrência para a parte jurídica do banco entrar, pra ver se meu caso da para ter ressarcimento", disse a mulher. No extrato consta o nome de uma mulher para quem a transferência foi feita.

Ao todo a idosa perdeu R$ 8 mil reais que havia na sua conta. A aposentada disse que ouviu relato de que aquele não teria sido a primeira ocorrência do dia. "Uma funcionária me disse que eu era a terceira pessoa que estava indo lá relatar sobre esse tipo de golpe, acho que tem uma quadrilha só esperando a gente entrar aqui para fazer esse tipo de coisa”, narrou a aposentada.

O caso segue em investigação e foi registrado como furto qualificado com abuso de confiança  na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da região central.

Em contato com assessoria do Bradesco, o informação é que a instituição precisaria de dados da aposentada, como agência, conta e CPF para checar as informações e assim dar um posicionamento à imprensa. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.