UEMS - MARÇO - PANTANAL TECH

Filiação partidária de idosos e jovens foi a que mais cresceu em quatro anos

Apesar disso, os adultos ainda são a maioria entre os eleitores com filiação partidária, segundo dados da Justiça Eleitoral

11/06/2024 09h53
Por: Redação
Fonte: correiodoestado
Mato Grosso do Sul já tem 104.238 idosos filiados em partidos e 32.618 jovens na mesma situação - Foto: Montagem
Mato Grosso do Sul já tem 104.238 idosos filiados em partidos e 32.618 jovens na mesma situação - Foto: Montagem

Com base em dados disponibilizado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), os eleitores idosos e jovens, respectivamente, foram os que mais apresentaram crescimento percentual no número de filiados dos 29 partidos aptos a participar do pleito do próximo dia 6 de outubro no Estado.

Na contramão dos dados nacionais, que mostram queda na filiação de pessoas jovens a partidos políticos, em Mato Grosso do Sul, no período entre dezembro de 2022 e maio de 2024, ou seja, nos últimos quatro anos, o número cresceu 6,18%, saindo de 30.720 para 32.618.

Além disso, também com base nos dados do TRE-MS, a quantidade de idosos que se filiaram a partidos políticos no período de quatro anos cresceu 7,62%, saltando de 96.861 em 2022 para 104.238 em 2024.

Entretanto, apesar do aumento de jovens e idosos, a maioria absoluta de filiados em partidos políticos ainda é formada por adultos, com 168.102, de um total de 304.958 filiados no Estado.

Nos principais partidos de Mato Grosso do Sul, mesmo estando aquém do número de filiados adultos, o número de jovens e idosos é bem expressivo, confirmando que, diferentemente dos dados nacionais, no Estado o interesse pela militância política é bem expressivo nesses dois públicos.

No caso do MDB e PP, eles são os únicos entre os grandes partidos do Estado em que o número de jovens e idosos filiados à legenda somados é superior ao de adultos.

O MDB tem 24.022 filiados jovens e idosos, enquanto os adultos chegam a 18.714, já no PP são 12.558 filiados jovens e idosos e 10.248 filiados adultos. Já nos demais, apesar de o número de jovens e idosos filiados ser expressivo, não consegue superar a quantidade de adultos filiados.

Esse é o caso do PSDB, em que as duas faixas etárias somam 14.683, enquanto os adultos totalizaram 20.343. O PT também segue o mesmo caminho, com 13.757 jovens e idosos filiados, enquanto o número de adultos filiados chega a 20.301.

Assim como no PL, que tem 9.642 jovens e idosos e 11.522 adultos, enquanto no PRD são 12.599 adultos filiados e 11.561 jovens e idosos. Já no União Brasil, são 8.657 jovens e idosos filiados e 9.479 adultos filiados, enquanto no Republicanos são 11.075 filiados adultos contra 6.036 jovens e idosos e, no Podemos, são 7.643 filiados adultos e 4.898 jovens e idosos.

 ANÁLISE
O interesse de jovens e idosos na filiação partidária é um claro reflexo da popularização vivida na política brasileira desde as eleições de 2018, quando Jair Messias Bolsonaro, da extrema direita, concorreu e venceu as eleições presidenciais, derrotando o candidato da esquerda, representado por Fernando Haddad (PT).

Nas eleições de 2022, esse fenômeno aumentou, principalmente nessas duas faixas etárias, sendo que, no caso dos jovens, que começam a entrar na vida política a partir dos 16 anos, eles vivenciaram um momento da história do Brasil em que os ânimos entre direita e esquerda ficaram mais acirrados.

Mesmo com a derrota de Jair Bolsonaro (PL) para Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no último pleito, tanto os idosos, quando os jovens tomaram gosto pela política, em ambos os lados da polarização, com verdadeiras batalhas sendo travadas nas redes sociais, tanto pelos jovens, quanto pelos idosos, que tiveram de aprender na marra a usar a nova ferramenta tecnológica para se expressar politicamente.

No entanto, o interesse por política dos jovens e idosos não se concentrou apenas em partidos da direita ou da esquerda, os partidos do centro, como MDB, PSDB, Podemos e União Brasil, também atraíram esse público.

Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, MDB e PP, que apesar de estar mais próximo de Bolsonaro é um partido de centro, têm mais jovens e idosos que adultos nos seus quadros de filiados, demonstrando que o interesse também cresceu nas siglas de centro.

Já PT e PL ainda concentram nas suas fileiras mais adultos do que jovens e idosos, mas, suas lideranças no Estado estão rejuvenescendo, como são os casos da deputada federal Camila Jara (PT) e do deputado estadual João Henrique Catan (PL).

Saiba
Dados disponibilizado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS) revelam que, dos 304.958 eleitores filiados a partidos políticos no Estado, 51,36 % são homens, ou seja, 156.618, enquuanto 48,64 % são mulheres, isto é, 148.324. Além disso, 0,01 % não informaram o sexo, ou seja, 16 eleitores. Ainda pelo TRE-MS, 11,57% têm de 1 a 5 anos de filiação,  13,43% têm de 5 a 10 anos e 64,21 % têm mais de 10 anos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.